sábado, 20 de janeiro de 2018

POST DA SEMANA Magnum - Lost On The Road To Eternity (2018) UK



"Lost On The Road To Eternity" é o novo álbum de 2018 da prestigiada banda britânica MAGNUM. A gravação do vigésimo álbum de estúdio da banda liderada pelos membros fundadores Bob Catley (vocal) e Tony Clarkin (guitarra) apresenta na sua formação atual dois novos elementos, Rick Benton (teclados) e Lee Morris (ex Paradise Lost, bateria).
Depois ouvir várias vezes este álbum (porque não é um álbum instantâneo) posso dizer que este é um dos mais elaborados - e completos - discos na carreira dos MAGNUM.
Benton juntou se aos MAGNUM em dezembro de 2016 para substituir Mark Stanway, membro de longa data, enquanto Morris assumiu o cargo de Harry James há apenas alguns meses. Com esta forte equipa, "Lost On The Road To Eternity" confirma que esta banda ainda tem muito a oferecer musicalmente.
Apresentando onze novas faixas com arranjos adicionais da maior orquestra do mundo, The Wolf Kerschek Orchestra, bem como Lee Small (Shy, Phenomena) nos coros e um vocalista convidado Tobias Sammet (Edguy / Avantasia) - como agradecimento pelas contribuições de Catley para os álbuns da Avantasia ao longo dos anos - este álbum está cheio de guloseimas.
O álbum abre com o clássico som dos MAGNUM com "Peaches and Cream", agitado e animado, com ritmos cativantes, destina-se a fazer com que o público aplauda quando tocado ao vivo.
Com a próxima faixa, "Show Me Your Hands", percebemos como Benton vai caber na banda, os novos teclados funcionam bem com a melodia de Clarkin.
Tomando uma posição mais suave, "Storm Baby" é uma tradicional balada dos MAGNUM, tingida de melancolia e alimentada por riffs colossais e linhas de baixo. Com isso no pensamento, sua ternura atinge o coração do ouvinte e encontra um espaço para preencher; as baladas são algo em que a banda é mestre.
Posteriormente, a mais longa das faixas, "Welcome To The Cosmic Cabaret", é uma faixa épica de Prog-Rock, e um pouco diferente do usado pela banda. Retratando uma história fascinante que o atrai para ouvir e capturá-lo dentro da sua frieza, há uma pausa instrumental que transborda os sintetizadores dos anos 80 e uma sólida batida de bateria que impulsiona a música; Ele serpenteia através de diferentes segmentos, como um rio serpenteando por diferentes paisagens até desaparecer no mar.
Começando com uma introdução tremenda que é tão edificante quanto o musical de Julie Andrews, o título "Lost on the Road to Eternity" apresenta Tobias Sammet dos Avantasia. Dando à música um lado diferente, o estilo vocal de Sammet é muito diferente de Catley, e eles se complementam bem. Tem alguns elementos deliciosos; A canção caberia bem no álbum Wings of Heaven de forma estilística porque tem a mesma presença e audácia de arena.
Com uma introdução de bateria anuncia o início do primeiro single, "Without Love", enquanto mostra o estilo de bateria de Morris. Com muita facilidade para tocar, o ritmo é implacável e atraente, mas o trabalho de guitarra rouba o show no final da música.
Cada minuto, um clássico, "Tell Me What You’ve Got to Say" combina tudo o que é o estilo tradicional dos MAGNUM e vincula-o numa classe de mestre rítmica.
Então, apresentando alguns coros com harmonia deliciosos, "Ya Wanna Be Someone" tem o vocalista convidado Lee Small. Juntando Bob Catley e Al Barrow, dá à música uma sensação triunfante, enquanto as letras brincalhonas ridiculizam aqueles que acreditam que são mais importantes do que qualquer outra pessoa.
Isto é antes de "Forbidden Masquerade", que começa lento e depois afasta se. Entregando alguns golpes sólidos, a faixa acalma te numa sensação de segurança e depois atinge te novamente antes de alcançar um final espiritual.
Para mostrar que eles podem ficar sérios quando querem, "Glory to Ashes" visita um dos tópicos favoritos da banda: guerra e injustiça social. Tem uma batida militarista subjacente a um Groove desesperado, fazendo uma faixa muito emocionante com floreado musical delicado.
Finalmente, trazendo o álbum para um final glorioso, "King of the World" tem uma guitarra bluesy, bateria forte e fantásticas letras descritivas. A segunda faixa mais longa do álbum, pode ser vista como uma música religiosa, mas tem uma ambiguidade que deixa de ser piedoso; uma conclusão agradável para um álbum especial.
MAGNUM personifica o Progressive Melodic Hard Rock britânico. Suas músicas são histórias lindamente trabalhadas e seu entusiasmo e energia não diminuíram ao longo dos anos.
Catley e Clarkin certamente não soam como as suas idades, a voz de Catley ainda clara e poderosa quando ele bate cada nota. A composição também está na melhor forma, pois não mostra nenhum sinal de desaceleração ou falta de ideias.
Embora existam sons remanescentes de música de décadas passadas, os anos 70 ou 80 especialmente, ecoando em toda a música, essas faixas não estão presas num enredo temporal; em vez disso, eles têm um estilo atual e vital que ainda se encaixa hoje.

  



Temas
01. Peaches and Cream
02. Show Me Your Hands
03. Storm Baby
04. Welcome To The Cosmic Cabaret
05. Lost On The Road To Eternity
06. Without Love
07. Tell Me What You've Got To Say
08. Ya Wanna Be Someone
09. Forbidden Masquerade
10. Glory To Ashes
11. King Of The World
Banda:
Tony Clarkin – guitar
Bob Catley – vocals
Al Barrow – bass guitar
Rick Benton – keyboards
Lee Morris – drums
Tobias Sammet – guest vocals on 5


Sem comentários:

Publicar um comentário