sábado, 24 de fevereiro de 2018

POST DA SEMANA Dukes of the Orient - Dukes of the Orient (Japanese Edition) (2018) USA



O que se consegue quando combinas um britânico de Londres que gosta do AOR americano com um americano da Califórnia que cresceu na cena prog britânico? DUKES OF THE ORIENT é o elogio magistral do vocalista John Payne (ex-ASIA, GPS) com o teclista Erik Norlander (LAST IN LINE, LANA LANE) que agora apresentam o seu álbum de estreia homónimo, dez anos em construção.
O álbum será lançado através da Frontiers Music, mas acabou de surgir no Japão com uma excelente faixa bónus.
John Payne foi o principal vocalista e baixista dos ASIA de 1991 a 2006, substituindo John Wetton. Com o Payne no comando, a banda inglesa lançou oito álbuns de estúdio, do Aqua de 1992 ao Silent Nation de 2004. Em 2006, a formação original dos ASIA reuniu-se (o teclista Geoff Downes, o guitarrista Steve Howe, o baterista Carl Palmer e a Wetton), deixando Payne fora do grupo e incitando-o a continuar com o nome 'Asia Featuring John Payne', apoiado por os restantes membros do grupo que também foram desviados pela reunião.
A nova formação retomou a atividade e começou a trabalhar num novo álbum, mas também estava envolvido com mudanças ocasionais no pessoal. No entanto, quando Wetton morreu em janeiro de 2017, Payne e Erik Norlander (seu teclista nos ASIA apresentando John Payne), decidiram finalmente largar a denominação e assumir um novo nome em relação à memória de Wetton, em última análise, abandonando os ASIA de uma vez por todas, também por causa de Downes e Palmer.
Assim, nasceram os Dukes Of The Orient.
O grupo rebatizado não desperdiçou mais tempo. Dirigido por Payne (voz, baixo, guitarra), além de Norlander (teclados) e acrescentado por Jeff Kollman (guitarra), Guthrie Govan (guitarra), Moni Scaria (guitarra), Bruce Bouillet (guitarra), Molly Rogers (cordas) e Jay Schellen (bateria), Dukes Of The Orient, finalmente, finalizaram as gravações em que eles estavam trabalhando há quase uma década como Asia feat. John Payne.
O álbum autointitulado abre com o talento melodramático de "Brother in Arms", que brilha calorosamente com uma aura de Journey’s Separate Ways (Worlds Apart). Oscilante e ondulada seguindo as mesmas vibrações é a balada mid-tempo "Strange Days", cuja guitarra cativante e interlúdio de teclado são apenas a erupção, nunca dominando, mas o complemento em vez das harmonias vocais de Payne.
Os Dukes tornam-se sentimentais com o "Amor Vincit Omnia [Love Conquers All]", apresentado pelo piano que se segue mostrando suas mãos mágicas na power balada "Time Waits for No One", que se baseia em sua sutileza romântica, com um habitual pico explosivo da guitarra.
Payne & Co. leva o ouvinte numa viagem de inspiração evangélica para baixo do caminho da memória com as vibrações nostálgicas da sinistra e bastante escura "A Sorrow’s Crown", cujas as habilidades no teclado regressam à época dos ASIA.
Depois, há o "Fourth of July" digno do estádio - cheio de sensibilidade suficiente orientada ao sintetizador proggy-AOR; certamente uma causa para uma festa de fogo de artifício.
"Seasons Will Change" é definitivamente a voz dolorida de Payne e o calor de Norlander do momento, exibindo uma pintura sónica do que são os Dukes Of The Orient.
No final do CD na versão Euro, os Dukes de exuberantes harmonias e melodias atraente acenam o último golpe com o "Give Another Reason" de dez minutos - introdução de guitarra clássica, paisagem sonora de filme, lento e sinfónico junto de um passado distante numa autoestrada de néon, exalando um cheiro de mais coisas vindas do ensolarado oriente.
Eu adoro a faixa bónus do Japão: "The Rebel". À primeira vista, parece uma balada proggy melódica suave e lenta, mas realmente tem uma essência tremenda, emocional, para desfrutar de turn-off-the-lights com um scotch de 12 anos na mão.
Payne & Norlander realmente tomaram a decisão certa ao se aproximar de um novo coletivo, pois isso resultou no seu álbum que demorou dez anos a ser feito, alcançando tanto uma sensação de familiaridade quanto um brilho.
Com as estruturas ornamentadas das canções os arranjos e a produção pura, "Dukes Of The Orient" é, sem dúvida, um golpe de mestre forjado com paixão e tempo por mãos experientes e magistrais.





Temas:
01. Brother In Arms
02. Strange Days
03. Amor Vincit Omnia
04. Time Waits For No One
05. A Sorrow’s Crown
06. Fourth Of July
07. Seasons Will Change
08. Give Another Reason
09. The Rebel (Japan Bonus Track)
Banda:
John Payne - vocals, bass, guitars
Erik Norlander - keyboards
com:
Jay Schellen - drums
Moni Scaria - guitars
Guthrie Govan - guitars
Bruce Bouillet - guitars
Molly Rogers - strings
thanks to Alfie Vera Mella




Sem comentários:

Publicar um comentário