sexta-feira, 25 de setembro de 2020

Torch - Reignited (2020) Suécia

Torch, banda sueca de heavy metal, começou em 1981 e em 1986 já tinha ido embora. Nesse período de 5 anos, eles lançaram seu EP Fire Raiser (1982), Torch (1983) e Electrikiss (1984). Os álbuns eram sólidos, mas depois de uma série de contratempos de gravadora e gerenciamento, Torch simplesmente não conseguia chegar ao próximo nível. Após os shows de reunião em 2013 e 2018, a banda decidiu que era hora de novas músicas. Reignited é o primeiro álbum do Torch em 34 anos e promete ser mais rápido, pesado e alto do que qualquer coisa que eles tenham feito antes. Foi produzido por Jacob Hanson (Volbeat, UDO, Pretty Maids). Torch sai do portão com raiva e trovão em "Knuckle Duster". Os riffs são pesados e os solos remetem aos primeiros dias do grupo. Os vocais de Dan Dark são corajosos, mas ferozes. “Collateral Damage” tem uma sensação muito UDO / Accept, provavelmente devido à influência do produtor Jacob Hanson. “Feed the Flame” é sobre os fãs que mantiveram o Heavy Metal ativo todos esses anos. Torch desacelerou um pouco o andamento de “In the Dead of Night”, um conto sinistro de esquizofrenia. O hino “Cradle to Grave” é liderado pelo baixo robusto de Ian Greg. “Snakecharmer” apoia-se fortemente no pedal wah-wah. As harmonias de várias partes em “Intruder” com certeza ficarão presas na tua cabeça. A versão dos anos 80 dos Torch está morta. Foi-se a marca sueca de NWOBHM e Power Metal. Os novos Torch são totalmente Heavy Metal, mas é um tipo de Heavy Metal seguro pelos números. Algumas das músicas se destacam entre as demais em Reignited , mas no geral parece que estás recebendo os restos de Udo Dirkschneider.


Temas:

01. Knuckle Duster
02. Collateral Damage
03. All Metal, No Rust
04. Feed The Flame
05. In The Dead Of Night
06. Cradle To Grave
07. Snake Charmer
08. Intruder
09. To the Devil His Due

Banda:

Dan Dark (vocals)
Chris J. First (guitar)
Hakky (guitar)
Ian Greg (bass)
Steve Streaker (drums)


Sem comentários:

Publicar um comentário