quarta-feira, 25 de novembro de 2020

Phil Campbell And The Bastard Sons - We're The Bastards (2020) UK

Phil Campbell and The Bastard Sons foram formados após a morte de Ian “Lemmy” Kilmister, que era mais conhecido como o fundador, baixista, vocalista principal, letrista e compositor da banda de rock inglesa dissolvida Motörhead. Desde então, o ex-guitarrista principal dos Motörhead, Phil Campbell, formou a banda Phil Campbell and the Bastard Sons com seus três filhos em 2016. O segundo álbum da banda, Are The Bastards, está repleto de poderosas e enérgicas canções de rock inglês. 
O primeiro terço do álbum é o resumo do rock 'n' roll. Os riffs são pesados e vivos, e as batidas de bateria são pronunciadas. Notavelmente, os preenchimentos de bateria são sempre apropriados e nunca exagerados. “Son Of A Gun” e “Promises Are Poison” são acompanhados por excelentes (mas surpreendentemente longos) solos de guitarra. Ambas as músicas parecem se inclinar mais para o heavy metal, particularmente "Son Of A Gun". Além dos elementos musicais mencionados acima, “Son Of A Gun” utiliza o domínio do baixo de Tyla Campbell com grande efeito. O solo de baixo groovy cria um contraste satisfatório com o resto do som de rock and roll estereotipada-mente directo do álbum. 
 O próximo terço do álbum também é equipado com um arsenal de riffs ferozes. A velocidade de “Animals” mais uma vez lembra as influências clássicas do heavy metal do grupo. Mais uma vez, um solo de guitarra relativamente longo, mas apaixonado, está presente na música. Perto do final, há uma ascensão cromática de riffs de guitarra enquanto a melodia vocal permanece na mesma tonalidade. Esta secção, que trairia as expectativas do ouvinte, tem um sabor característico de dissonância. Como a maioria das músicas deste álbum, a música seguinte “Bite My Tongue” apresenta um riff de guitarra muito groove e um solo de guitarra expressivo. “Desert Song” conclui o corpo do projecto com um ritmo moderado, e a introdução de uma harmónica que se inclina para um estilo inspirado no blues. 
Os riffs explosivos e vibrantes duram o resto do álbum, com excepção de "Waves". “Waves” é talvez a música mais dinâmica e criativa deste álbum. Começa com uma linha de baixo groovy, contrastada com vocais relaxantes e arpejos de guitarra limpos. Seguido por um solo de guitarra sentimental, a música termina com um outro inesperadamente vigoroso. É uma maneira simplesmente maravilhosa de concluir o álbum. 
 Ao todo, We are the Bastards é um álbum de rock 'n' roll directo que genuína e efectivamente incorpora os melhores elementos do rock. As ressalvas, no entanto, são letras suaves e juvenis, vocais medíocres e deficiências de variação. Existem muitas músicas que são semelhantes entre si em termos de ambiente e estrutura. Além disso, a ausência de dinâmica é preocupante, mas a qualidade de áudio das próprias músicas é louvável. Embora We are The Bastards seja muito longo para o que oferece, o álbum certamente forneceu algumas canções excepcionais que com certeza serão agradáveis para muitos fãs de rock.


Тemas:

01. We're The Bastards
02. Son Of A Gun
03. Promises Are Poison
04. Born To Roam
05. Animals
06. Bite My Tongue
07. Desert Song
08. Keep Your Jacket On
09. Lie To Me
10. Riding Straight To Hell
11. Hate Machine
12. Destroyed
13.
Waves

Banda:

Phil Campbell - Guitars
Todd Campbell - Guitars
Tyla Campbell - Bass
Dane Campbell - Drums
Neil Starr - Vocal





Sem comentários:

Publicar um comentário