segunda-feira, 7 de outubro de 2019

Opeth - In Cauda Venenum (2019) Suécia



Sem dúvida, os Opeth nunca foram uma banda em conformidade com o padrão, apesar da popularidade comercial mundial, eles tendem a pensar fora da norma e se inclinam para uma maneira progressiva de pensar e compor seu material, que emanou em seu 13º lançamento de estúdio, In Cauda Venenum.
Os estilos de rock progressivo que Opeth adotou principalmente nos seus trabalhos anteriores estão bem expostos em faixas como "Lovelorn Crime", o jazzístico e espiralado "The Garroter" e a jornada gloriosamente épica de "Universal Truth", que é bastante remanescente em lugares onde os Genesis foram nos seus primeiros anos de formação.
No entanto, as coisas parecem estar ficando um pouco mais pesadas, o que certamente agradará a alguns que foram prejudicados nos últimos álbuns - há uma ênfase maior em trazer os riffs de volta à vanguarda em "Heart In Hand", o mal e o melancólico "Charlatan, Dignity" com seu tom do Oriente Médio e o sombrio e furtivo "Next Of Kin". É certo que certamente não é o peso do Blackwater Park ou do Ghost Reveries, mas ainda é bom ouvir alguns grandes riffs proeminentes no material mais recente dos Opeth.
Pegando o In Cauda Venenum como um todo, é evidente que os Opeth são bem confortáveis onde são musicalmente como uma banda de rock progressivo pesado e funciona, mas ainda se esforçam para melhorar a cada lançamento. Para aqueles que desejam regressar aos seus dias inspirados no death metal, é bastante seguro dizer que esses dias estão na visão traseira dos Opeth e eles continuam olhando mais para a frente do que para trás.




Temas:
CD 1: Swedish
01. Livets Trädgård
02. Svekets Prins
03. Hjärtat Vet Vad Handen Gör
04. De Närmast Sörjande
05. Minnets Yta
06. Charlatan
07. Ingen Sanning Är Allas
08. Banemannen
09. Kontinuerlig Drift
10. Allting Tar Slut
CD 2: English
01. Garden Of Earthly Delights
02. Dignity
03. Heart In Hand
04. Next Of Kin
05. Lovelorn Crime
06. Charlatan
07. Universal Truth
08. The Garroter
09. Continuum
10. All Things Will Pass
Banda:
Mikael Åkerfeldt - Guitars, Vocals (Storm Corrosion, ex-Steel, ex-Bloodbath, ex-Katatonia (live), ex-Eruption, ex-Sörskogen)
Martín Méndez - Bass (ex-Eternal, ex-Fifth to Infinity, ex-Requiem Aeternam, ex-Proxima, ex-Vinterkrig)
Martin Axenrot - Drums, Percussion (Bloodbath, ex-Blasphemous, ex-Morgue, ex-Nephenzy Chaos Order, ex-Decay, ex-Nifelheim, ex-Witchery, ex-Triumphator, ex-Satanic Slaughter, ex-Funeral Frost)
Fredrik Åkesson - Guitars, Vocals (backing) (ex-Southpaw, ex-Krux, John Norum, ex-Arch Enemy, ex-Shock Tilt, ex-Tiamat (live), ex-Sabbtail, ex-Monsters of Metal, ex-Talisman)
Joakim Svalberg - Keyboards, Piano, Mellotron (elGamo, ex-Yngwie J. Malmsteen, ex-Mastodon (live), ex-Tiamat (live), ex-HTP / Hughes & Turner project (live))


Sem comentários:

Publicar um comentário