sábado, 7 de dezembro de 2019

Cold Chisel - Blood Moon (2019) Austrália


Neste ponto da existência dos Cold Chisel, um novo álbum é basicamente uma desculpa para a banda sair em turnê e quebrar a monotonia de tocar Flame Trees e Cheap Wine pela zilhionésima vez. Como voltar a reunir a banda define o ritmo, um rocker único, unido ao compositor por excelência, com a sagacidade irônica de Don Walker: “Davo’s polishing an antique Strat that no musician could afford.” Os Chisel aqui também estão zangados, assim como a 'Band' do título da música; todo esse esforço parece um pouco triste, mas é tudo muito divertido.
Como tal, existem alguns temas genuínos, a faixa mais forte, Boundary Street, contém um solo de sax totalmente imundo de Andy Bickers, que arrasta guitarra de Ian Moss na lama com ele; “I hit the wall and the wall won", no Walker / Sonny Curtis tema I Hit The Wall é o estilo Chisel mais clássico possível: You Are So Beautiful , a única contribuição de Moss como cocompositora (com Lucy DeSoto), é uma balada pop surpreendentemente eficaz, mesmo que pareça uma reflexão tardia. Esses antigos cães do rock não têm novos truques, mas estão longe de estar prontos para rolar e se fingirem de mortos.




Temas:
01. Getting The Band Back Together
02. Land Of Hope
03. Drive
04. The Killing Time
05. I Hit The Wall
06. Boundary Street
07. Buried Treasure
08. Accident Prone
09. Someday
10. You Are So Beautiful
Banda:
Ian Moss - lead guitar, vocals
Don Walker - keyboards, backing vocals
Jimmy Barnes - vocals, guitar
Phil Small - bass guitar, backing vocals
Charley Drayton - drums, backing vocals






Sem comentários:

Publicar um comentário