segunda-feira, 29 de julho de 2019

Black Rain - Totalitarian Order (2019) USA

Black Rain, USA, Heavy Metal,

O trabalho solo de Leo Alipour, BLACK RAIN, existe há dez anos e já lançou três álbuns interessantes. Este ano, ele lança um novo álbum chamado "Totalitarian Order", com conceitos e temas de um futuro distópico. O álbum é um heavy metal pesado de treze faixas que certamente agradará a qualquer um. O álbum abre um grande momento com "Cytec" imediatamente exibindo puro heavy metal de Leo nas guitarras e bateria. Os riffs que logo seguem a introdução são um bom momento de desenvolvimento. O refrão é cativante o suficiente para ficar contigo depois de apenas ouvires uma vez. Na sequência, é "2149"que é um monólogo / intro instrumental para a faixa-título em si. A faixa-título está um pouco fora de mim. A introdução é longa, as linhas vocais são mínimas, e os cinco minutos são simplesmente monótonos, se não completamente vazios.
A queda da faixa-título é rapidamente solucionada pela próxima música, “There Will Be Blood”, com seus riffs surdos e o geral humor agressivo. Ele também tem um solo de guitarra muito bom que se soma ao seu tempero. Após essa música, três faixas consecutivas desnecessariamente longas são lideradas pela “Robotic Machinery”. Por que é desnecessariamente longo? Bem, a música mencionada tem duas camadas de introdução. A música ficará bem se qualquer um dos dois for cortado. Há também muitas transições difíceis dentro da música, onde tu realmente te sentirás alienado. O ritmo lento também não ajuda. Com a mensagem que carrega, a música poderia ter sido muito melhor se fosse tocada no dobro do tempo.
Assim que o álbum está chegando ao fim, o instrumental de 8 minutos “Renaissance” entra em cena e abre caminho. Tem um toque muito bom de música neoclássica, e um pouco de influência dos MEGADETH e do início dos METALLICA. “Still a Chance” é a música mais original do álbum. A música é quase uma power balada, se não fosse pelo barulho real no quarto minuto. Enquanto a maioria da faixa tem uma abordagem bastante suave, ela não perde a vibe distópica que foi estabelecida durante todo o álbum. Concluindo o álbum é "Echoes of the Dead". Por fim, posso dizer que essa música de 9 minutos realmente me agradou. Ao contrário das primeiras músicas que excedem a marca de 7 minutos, essa música é uma matadora. Tem um toque de maldição, tem a sua parte de elementos thrash e as influências da NWOBHM são fortes. A experiência geral é uma montanha russa de mudanças de humor e tempo que termina de uma maneira muito elegante.
No geral, vou dizer que esse álbum é bom. Tem muita experiência e a maioria realmente funcionou bem. A produção também é excelente, alcançando um som vintage sem parecer que foi gravado numa garagem. Tens que te lembrar que este é um trabalho de um homem só, e ser capaz de fazer um álbum de 84 minutos não é brincadeira.





Temas:
1. Cytec
2. 2149
3. Totalitarian Order
4. There Will Be Blood
5. Robotic Machinery
6. Child
7. Masters and Slaves
8. Epiloque
9. The New Communism
10. Renaissance
11. Still a Chance
12. EOD (Echoes of the Dead)
13. Child (Acoustic)
Musico:
Leo Alipour – All Instruments, Vocals






Sem comentários:

Publicar um comentário